in

Até quando?! Juiz da partida entre Atlético-MG x Flamengo ignora ofensas homofóbicas da torcida mineira e relata na súmula apenas objetos arremessados no gramado

Gilvan de Souza / Flamengo

Depois da derrota sofrida no último domingo (19), por 2 a 0, em duelo válido pelo Brasileirão, Atlético-MG e Flamengo voltaram a se enfrentar no Mineirão, na noite da última quarta-feira (22). E mais uma vez a equipe mineira saiu comemorando a vitória, desta vez por 2 a 1, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Quem acompanhou o duelo pela televisão percebeu durante todo o jogo os cantos homofóbicos da torcida mineira direcionados aos flamenguistas presentes no estádio. As ofensas foram tão perceptíveis que aos 15 minutos da etapa final o confronto chegou a ser paralisado por conta das cenas lamentáveis protagonizadas pelos torcedores atleticanos. O atacante Hulk chegou a pedir que os alvinegros parassem com as ofensas.

Inexplicavelmente, os cantos não foram relatados na súmula pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira, que leva o escudo FIFA. Para piorar, o juiz do duelo informou no documento que não houve ‘nada de anormal’ e não relatou as ofensas como razão para a paralisação, atraso, reinício ou acréscimos.

Acréscimos devido a reposição de bola em jogo, entrada da maca para retirada de atletas para atendimento e substituições. Foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem póstuma às vítimas da COVID-19 e ao Sr. Fernando Luiz da Silva, responsável pela operação de base do Mineirão.

No entanto, Luiz Flávio de Oliveira apesar de não ter escutado os cantos homofóbicos da torcida atleticana, relatou na súmula que a torcida do Atlético-MG arremessou um isqueiro, aos 8 minutos do segundo tempo, e, aos 15 minutos, foi jogado um ferro com porca rosqueada e uma ruela na direção da grande área do Flamengo.

O juiz também relatou que o chefe da delegação do Flamengo, Luiz Cláudio Cotta da Silva, teria subido o tom nas críticas direcionas a ele.

“Você tem que dar para os dois lados, está prejudicando a gente”. No túnel de acesso aos vestiários, continuou proferindo palavras direcionada a equipe de arbitragem: “Ninguém vai roubar o flamengo não, c**”.

O duelo de volta entre Flamengo e Atlético-MG vai acontecer no dia 14 de julho, ás 21:30, no Maracanã. Para passar de fase na Copa do Brasil, a equipe rubro-negra precisa vencer por 2 gols de diferença. Caso vença por um gol, a vaga será decidida nos pênaltis.

Marcelo Cortes / Flamengo

Tem reforço chegando! Flamengo tem acordo verbal com jogador que atua no futebol europeu

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Fim do sonho! Benfica oficializa contratação de jogador que era um dos alvos do Flamengo