in

Marcos Braz revela motivo que quase o fez sair do Flamengo em 2019

Marcelo Cortes / Flamengo
Marcelo Cortes / Flamengo

Um dos dirigentes mais vitoriosos da história do Flamengo, o vice de futebol Marcos Braz, deu uma entrevista ao Portal “GE” e falou sobre o clima do time para a grande final da Libertadores, neste sábado (27), no Uruguai, contra o Palmeiras. Além disso, ele também revelou o seu maior sonho no comando do clube. O dirigente surpreendeu ao afirmar que caso o Rubro-Negro tivesse conquistado o Mundial de Clubes em 2019, ele já teria deixado o cargo de vice-presidente de futebol.

“Quero ser campeão do mundo. Jogador, não. Jogador faz parte do processo, não tenho sonho de contratar ninguém. Meu sonho é ser campeão do mundo. Bati na trave. E, se tivesse sido campeão, eu tinha saído do Flamengo”, afirmou Braz, que ainda falou sobre a temporada de 2022.

“O departamento de futebol precisa de ajustes, independente de título da Libertadores. É sempre necessário avaliar se não poderia ter feito melhor, tomado decisões melhores para ter mais brilhantismo durante a temporada. Se ganharmos, será uma temporada muito boa, acima da média. Se perdermos, não dá para achar que tudo foi uma tragédia. Chegamos na semifinal da Copa do Brasil e vamos lutar no Brasileiro até quando for possível. Se não formos campeões brasileiros, provavelmente ficaremos em segundo. E, se não formos campeões da América, ficamos em segundo. É pouco para o Flamengo, ganhar isso não significa que não precisa ter ajuste”, completou.

Emerson Sheik provoca e garante que um time vai “amassar” na final da Libertadores

Uruguaios ficam encantados com festa da torcida do Flamengo