in

Zinho fala sobre o mercado da bola na sua época – “Era escravizado”

Reprodução

O ex-jogador e atual comentarista dos Canais Disney, Zinho, revelou em entrevista ao Flow Sport Club como era o mercado da bola quando atuava. O tetracampeão do mundo com a seleção brasileira em 1994 foi atleta profissional por 30 anos, de 1986 a 2006. Como jogador, foi revelado nas categorias de base do Flamengo e saiu do clube aos 25 anos para vestir a camisa do Palmeiras. Devido ao estilo de transferências da época, ele jamais jogou na Europa, mesmo sendo frequentemente convocado para a seleção brasileira. Sua primeira experiência como jogador fora do Brasil foi o período que jogou no futebol japonês entre 1995 e 1997. De acordo com Zinho, os jogadores naquele tempo eram praticamente escravizados.

“Os jogadores não eram vendidos rapidamente. Tu era campeão brasileiro, isso e aquilo, mas seu passe era do time, e o clube falava que não ia vender. Hoje em dia faltando seis meses o jogador assina contrato com quem ele quiser. O clube tem que fazer contrato longo para se precaver. A gente não, o contrato era anual, aí se o clube não estivesse em dia, você procurava para renovar, não tinha essa de que ia para outro clube, o time colocava para treinar separado e ficava aquela briga. Você era do clube. Em uma venda tinha 15% dos direitos pelo passe, mas era escravizado. Eu não era vendido. Os maiores jogadores estavam aqui, saiam pouco. Na Europa, na época, eram só três estrangeiros por time, e não tinha comunidade europeia. O italiano era estrangeiro na Espanha, o espanhol em outro país… Iam poucos. Não eram vendidos a balde. Até para subir da base era complicado.”

Zinho defendeu Flamengo, Palmeiras, Grêmio, Cruzeiro e Nova Iguaçu. Fora do Brasil passou pelo Yokohama Flugels, do Japão e já no fim da carreira jogou pelo FL Strikers, dos Estados Unidos.

Representante de Diego Ribas se posiciona sobre possível negociação com o São Paulo

Joel Santana afirma que poupar jogador é “conversa fiada”