in

Ex-treinador da Seleção diz que Kenedy vai se destacar no Flamengo

Alexandre Vidal / Flamengo

O atacante Kenedy finalmente estreou pelo Flamengo. O camisa 33 estreou na derrota por 1 a 0 no terceiro duelo contra o Grêmio, que desta valeu pelo Campeonato Brasileiro. O jogador agora vive a expectativa de ser uma das armas do técnico Renato Gaúcho para a “batalha” na Libertadores da América diante do Barcelona de Guayaquil. A primeira parta da decisão acontecerá nesta quarta-feira (22), às 21:30, no Maracanã e com a expectativa de um bom público nas arquibancadas.

O atleta foi contratado por empréstimo junto ao Chelsea, da Inglaterra e busca se firmar no futebol e se consolidar no futebol e justificar toda a expectativa criada desde as categorias de base. Considerado uma das principais joias do Fluminense, o atacante era presença constante nas seleções do Brasil e chamou atenção dos maiores clubes da Europa.

“O Kenedy era um dos grandes jogadores da base na minha época e sempre foi titular comigo. Eu gostava muito dele e da função que ele fazia. É um jogador ofensivo, rápido, privilegiado fisicamente e que chuta muito bem”, disse Alexandre Gallo, ex-treinador das seleções de base do Brasil, ao site da ESPN.

Em 2013, o atacante estreou nos profissionais aos 17 anos e foi vendido duas temporadas depois ao Chelsea por 10 milhões de dólares. No entanto, ele nunca conseguiu se firmar: foram apenas 27 partidas oficiais (três gols marcados). Nos últimos seis anos, Kenedy foi emprestado para clubes como Granada (ESP), Watford (ING), Newcastle (ING) e Getafe (ESP).

“Ele foi subutilizado na Europa e poderia ter jogado mais. Algumas vezes foi usado como lateral-esquerdo, mas ele não tem características para isso de marcação”, afirmou Gallo. “O melhor lugar dele é pelo lado direito trazendo para dentro. Pode ser um segundo atacante, mas é muito agudo e sempre prepara a jogada para a finalização. Jogando pela esquerda eu acho que ele perde um pouco porque fica só com o canto de campo. Ele é um canhoto mesmo e gosta de fazer tabelas”. Gallo não esquece de um golaço que Kenedy marcou no Sul-Americano sub-20 contra a Venezuela.

“Ele fez uma tabela quase na lateral-direita, chutou de perna esquerda na gaveta e assustou todo mundo que estava no estádio pela força. É um dos melhores finalizadores e o segundo chute mais forte que já vi: só perdia para o Talisca. Era um absurdo! Tem muita força física e entrega”.

“Os times se fechavam muito contra o Brasil, e ele matava situações no um contra um e nas finalizações fortes. O Kenedy tem muita velocidade e pode ajudar muito no escape. Ele vai ajudar muito ao Flamengo em uma equipe cheia de craques”, disse.

Fora de campo, Gallo acredita que ele não terá dificuldades para se adaptar ao vestiário rubro-negro.

“Era um menino muito brincalhão, principalmente com o pessoal do Fluminense. Ele se dava bem com todo mundo, não era de liderança, mas fazia o ambiente ficar bom”, finalizou.

Vampeta crava que Gabigol não merece estar na Seleção Brasileira

Renato Gaúcho se irrita por pergunta em coletiva