in

Comentarista questiona jogo do Flamengo com público – “Acabou a Delta ?”

Alexandre Vidal - Flamengo
Alexandre Vidal - Flamengo

A Prefeitura do Rio liberou a presença de público nos estádios da cidade do Rio de Janeiro a partir do próximo dia 15 de setembro com variações entre 35 e 50% da capacidade total dos estádios. No entanto, essa medida tem causado muita controvérsia entre os clubes e também na imprensa esportiva.

Durante o programa ‘Os Donos da Bola’ da Band, de hoje (08), o comentarista Ronaldo Castro questionou a liberação do público em relação às variantes do Covid-19, que tem aumentado o número de casos no país e em especial no Rio de Janeiro.

“Eu fico pensando aqui da seguinte maneira: então acabou a [variante] Delta. Porque o prefeito bateu na Delta, estava tudo lotado, CTIs lotadas, pandemia, aglomeração,… 35% do público no Maracanã não vai dar aglomeração? Então, em quem eu vou acreditar? Se assusta a população com relação à variante Delta. Eu tenho amigos que pegaram. Mas daqui a uma semana não tem mais e vai ter jogo no Maracanã. Isso não vai acabar nunca. Quando toda a população estiver vacinada, irão surgir casos também, mas não como há um ano”, disse Ronaldo Castro.

“O Flamengo tem que jogar aqui para a sua torcida. O problema é que são só 35%, isso deve ser uns 20 mil [torcedores]. Esses 20 mil serão para os sócios-torcedores. Eu penso assim. Não deve ter bilheteria. Vai comprar tudo pela internet. E a torcida quer ver o time jogar”, complementou.

Grêmio cogita abandonar partida contra o Flamengo por presença de público

Sem espaço no Palmeiras, Neto indica Felipe Melo ao Flamengo