in

Ex-treinador detona Gabigol após expulsão e diz ter se sentido ofendido

Divulgação / Flamengo

A repercussão da expulsão do atacante Gabigol durante a partida contra o Internacional, no último domingo, continua rendendo desdobramentos. Além da possibilidade de pegar um gancho de até seis partidas, pelo STJD, as suas falas durante a saída de campo, renderam críticas da imprensa esportiva e até mesmo de profissionais do futebol.

Durante o programa “Os Donos da Bola”, da Band, Renê Simões detonou a atitude do atacante e saiu em defesa dos que trabalham no futebol brasileiro.

“A opinião do Gabigol afeta a mim, a nós, dizendo que trabalhamos numa várzea. Nós fazemos parte do futebol brasileiro, eu faço parte. Eu não trabalho numa várzea. Várzea quer dizer que é uma bagunça, que não tem regra, onde não tem convivência, tem a conveniência, interessa a mim falar o que eu quero, o outro não interessa, eu posso ligar o meu som às três da manhã e ninguém pode dizer pra mim que é uma várzea porque é o que eu quero”, disse o ex-treinador.

“Ele pode dizer o que ele quer, eu me senti ofendido, não trabalho numa várzea. Se ele não está satisfeito com a várzea, vá embora. Ali, ele ofendeu todas as pessoas que trabalham no futebol”, concluiu Renê Simões.

Gabigol será denunciado pelo STJD e pode pegar 6 jogos

Flamengo recusa proposta do Porto por lateral