in

Sormani critica elenco do Flamengo por cantar música uruguaia

Reprodução / FlaTv

Os jogadores rubro-negros fizeram a festa no vestiário do Mané Garrincha após a vitória por 2 a 0 em cima do Palmeiras, nesta quinta-feira (21) pelo Brasileirão, com direito a canções uruguaias, puxadas pelo meia Arrascaeta. Mas ao que parece, os cantos não agradaram muito ao jornalista Sormani.

“É de uma banda uruguaia e a moral da história é “se nos organizamos, não tem para ninguém”, disse Celso Unzelte no programa “Bate Bola Debate”, da ESPN.

“O cancioneiro popular brasileiro não tem música para relatar esse tipo de coisa, né?”, ironizou Sormani.

“A nossa música é pobre. Não produzimos muita coisa ao longo dos tempos: Bossa Nova, MPB, Chorinho, tem pouca coisa. Nós precisamos mesmo buscar alguma coisa no Uruguai ou na Argentina para comemorar. Vou falar um negócio para você: se você confrontar nossa música com qualquer música da América Latina – à exceção de Cuba -, não dá para comparar… É mais fácil recorrer a outras músicas que ouvir a nossa música, ir atrás das nossas raízes, riquíssimas”, continuou.

“Mas essa frase “se nos organizamos, não tem para ninguém” é tudo o que o Flamengo quer: se reorganizar e mostrar que tem potencial. Isso é muito significativo. Aí junta a rivalidade com o Palmeiras, a situação no campeonato e tudo o que o grupo está querendo no ano, que é mostrar, é significativo”, explicou Unzelte.

FlaBasquete encara o São Paulo na final do Super 8 neste sábado

FlaBasquete vence o São Paulo e é Campeão da Copa Super 8